25 junho 2014

CAIO FÁBIO ALGUÉM QUE JÁ FOI E NÃO É MAIS OU UM SEMIDEUS ENCARNADO?

Meu filho me enviou um link de uma entrevista de Caio Fábio no programa The Noite no SBT. Não consigo dizer que Caio Fábio é pastor, pois não é. Virou um guru daqueles que se alimentam das bolotas de porcos em pocilgas mentais. Fiquei me perguntando como uma pessoa assim pode dizer que crê em Cristo.
Iniciou sua fala chamando todos os evangélicos de burro e sem cultura, como se ele fosse de uma profundidade mental espetacular. Teve a audácia de dizer que enquanto pastor presbiteriano tentou ensinar todo espectro das igrejas evangélicas a pensar e transmitir conhecimento, mas entendeu que era inútil e impossível. 
Quem o chamou para ser o legislador do povo de Deus? Quem o constituiu parâmetro para a igreja em termos de doutrina. Dá a entender que somente ele possuía o conhecimento secreto libertador que emanciparia o povo de Deus no Brasil. Isso me cheira a gnosticismo grosseiro.
Afirmou que as igrejas e pastores são tiranos e escravocratas, produzindo mentes descerebradas e inúteis. Sua afirmação joga no lixo dezenas de anos de estudos de milhares de pastores sérios de várias denominações e os iguala aos senhores de engenhos ou mesmo aos poderosos de Roma. Para Caio Fábio a igreja nada produz de útil ou serve a Deus. As manifestações do poder de Deus, para ele, somente acontecem em seu movimento herético chamado Caminho da Graça, onde incautos encontraram doutores segundo suas próprias concupiscências.
Como o senhor da verdade disse que a igreja somente incute medo nas pessoas o que as leva a ser prisioneiras ao invés de libertas.
O que mais me impressionou Foi Caio concordar como apresentador que o Novo Testamento fez caducar o Antigo Testamento e ainda mais concordou que muito do Novo Testamento caducou também. Ai pergunto: o que sobrou para ser seguido e praticado? Que autoridade Caio Fábio tem para dizer que texto a ou b não procedem mais para a igreja. Se assim for, nunca termos certeza ou confiança em quais partes podemos viver ou confiar para praticarmos o cristianismo e mesmo seguirmos até a estatura do Varão Perfeito.
Para Caio Fábio Cristo aboliu em 100% a Lei. Cita Romanos 10:4 “Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê”. Cita o texto fora do contexto e daí chega à heresia.
Paulo não está dizendo que Cristo aboliu a Lei, pois o restante do versículo explica o seu início. O que Paulo está dizendo é “que crer em Cristo como Senhor e Salvador põe um fim à busca inútil do pecador pela justiça por meio de suas tentativas imperfeitas de salvar a si mesmo pelos esforços em obedecer a lei. Veja – R. 3:20-22; Is. 64:6; Cl. 2:13-14
A afirmativa e Caio Fábio é resultado de alguém que a décadas deixou de estudar teologia e refletir seriamente na Palavra. Criou achismos que aparentemente impressionam, mas caem em suas próprias armadilhas. Na verdade são sofismas da pior espécie.
Ao afirmar que anjos coabitaram com mulheres e geraram seres híbridos introduz algo estranho à natureza humana. Como ele afirma que tais seres sobreviveram ao diluvio então seus descendentes proliferaram por gerações ininterruptas sobre a face da terra. Se tal fato aconteceu a morte de Cristo não atingiu esses seres híbridos, pois Ele veio salvar o homem com 100% de sua humanidade e nunca seres híbridos. Doeu ouvir tanta baboseira.
Ainda ele afirmou que o diluvio veio esterilizar o pecado da raça e exterminar estes seres híbridos. Se veio exterminar os seres híbridos como pode vários deles terem sobrevivido ao diluvio? Caiu em contradição várias vezes.
Para Caio Fábio a utilização do Antigo Testamento, por parte da igreja moderna, somente serve como forma de controle e tirania.
Fiquei enjoado e enojado com tal entrevista. Caio se colocou como guru gospel do sec. XXI.
Afirmou que Cristo ensinou o caminho da consciência que todos podem seguir. Tal afirmação toma a benção ao budismo, xintoísmo e das religiões orientais, onde o mal não existe, o pecado é erro de percurso e que os iluminados ou budas trazem a consciência amplificada para que os homens vivam melhor ou sejam mais felizes. Negou abertamente a hediondez do pecado e suas consequências. Anulou a obra do Calvário profanamente e rebaixou Cristo a nível dos salvadores inúteis das religiões.
Ao afirmar que Deus é um absurdo e loucura pura obteve o aplauso de ateus que alegremente se viram realizados nele.
Gostaria de escrever mais, mas não consigo. Tal assunto produz vômito em qualquer homem com um mínimo de cérebro.
Não acredito que haja possibilidade de retorno ao puro evangelho e mesmo arrependimento para Caio Fábio. Mostrou-se o melhor de todos, aquele que está acima do bem e do mal. Utilizou sua boca porca para proferir palavras que não caem bem para um pastor. Jugou todos e esqueceu de julgar-se. Mostrou o pecado de todos mas esqueceu de falar dos seus. Disse que igrejas são produtoras de homossexuais, fato nunca comprovado por pesquisa alguma, mas esqueceu de falar sobre seu adultério. Exarou seu rancor e azedume contra aqueles que um dia serviram de plataforma para que milhares de dólares entrassem em sua vida através livros, fitas de vídeo, DVDs, viagens a Israel, congressos etc. É o sujo falando do mal lavado.
Caio Fábio pratica um pluralismo filosófico exacerbado e uma hermenêutica radical desproporcional.
Em resumo prestou um desserviço para o Reino de Deus.
Que o juízo comece pela casa de Deus.

Soli Deo Gloria


Pr. Luiz Fernando R. de Souza

19 junho 2014

LUTANDO CONTRA A ANSIEDADE




Lutando Contra a Ansiedade

John Piper
Devemos seguir o modelo de Jesus e Paulo. Devemos combater a incredulidade da ansiedade com as promessas de graça futura. Quando estou ansioso sobre algum novo empreendimento arriscado ou reunião, eu luto contra a incredulidade com uma das minhas promessas mais frequentemente utilizada, Isaías 41:10. O dia em que saí para passar três anos na Alemanha, meu pai me ligou de longa distância e me deu essa promessa ao telefone. Ao longo dos três anos, eu devo ter citado isso para mim quinhentas vezes, para conseguir passar por períodos de tremendo estresse. “Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel” (Isaías 41:10). Quando o motor da minha mente está em ponto morto, o sussurro das engrenagens é o som de Isaías 41:10.
Quando estou ansioso quanto ao meu ministério ser inútil e vazio, eu luto contra a incredulidade com a promessa de Isaías 55:11. “Assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei”.
Quando estou ansioso quanto a ser muito fraco para fazer o meu trabalho, eu luto contra a incredulidade com a promessa de Cristo: “A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Coríntios 12:9).
Quando estou ansioso quanto a decisões que tenho que tomar em relação ao futuro, eu luto contra a incredulidade com a promessa: “Instruir-te-ei e te ensinarei o caminho que deves seguir; e, sob as minhas vistas, te darei conselho” (Salmo 32: 8).
Quando estou ansioso quanto a encarar adversários, eu luto contra a incredulidade com a promessa: “Se Deus é por nós, quem será contra nós”? (Romanos 8:31).
Quando estou ansioso quanto ao bem-estar das pessoas que amo, eu luto contra a incredulidade com a promessa de que, se eu, sendo mau, sei como dar boas coisas aos meus filhos, quanto mais “vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem” (Mateus 7:11). E eu luto para manter meu equilíbrio espiritual com a lembrança de que não há ninguém que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou terras, por amor de Cristo, que “não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e, no mundo por vir, a vida eterna” (Marcos 10:29-30).
Quando estou ansioso quanto a estar doente, eu luto contra a incredulidade com a promessa: “Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR de todas o livra” (Salmo 34:19). E eu tomo a promessa com tremor: “a tribulação produz perseverança; a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado” (Romanos 5:3-5).
Quando estou ansioso quanto a estar envelhecendo, eu luto contra a incredulidade com a promessa: “Até à vossa velhice, eu serei o mesmo e, ainda até às cãs, eu vos carregarei; já o tenho feito; levar-vos-ei, pois, carregar-vos-ei e vos salvarei” (Isaías 46:4).
Quando estou ansioso quanto a morrer, eu luto contra a incredulidade com a promessa de que “nenhum de nós vive para si mesmo, nem morre para si. Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor. Foi precisamente para esse fim que Cristo morreu e ressurgiu: para ser Senhor tanto de mortos como de vivos” (Romanos 14:7-9).
Quando estou ansioso de que eu possa naufragar da minha fé e me afastar de Deus, eu luto contra a incredulidade com as promessas: “Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus” (Filipenses 1:6) e “também pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles” (Hebreus 7:25).
Esse é o modo de vida que eu ainda estou aprendendo, enquanto entro na minha sétima década. Eu escrevo este livro na esperança, e com a oração, de que você se unirá a mim. Façamos guerra, não contra outras pessoas, mas contra a nossa própria incredulidade. Ela é a raiz da ansiedade, a qual, por sua vez, é a raiz de tantos outros pecados. Por isso, liguemos os nossos limpadores de para-brisa e usemos o jato de água, e mantenhamos os olhos fixos nas promessas grandes e preciosas de Deus. Tome a Bíblia, peça ajuda ao Espírito Santo, coloque as promessas em seu coração e combata o bom combate – viver pela fé na graça futura.
Fonte: Trecho do livro Lutando Contra a Incredulidade, lançamento de Maio de 2014 da Editora Fiel
Soli Deo Gloria
Pr. Luiz Fernando R. de Souza