31 julho 2013

SE JESUS CRISTO HOUVESSE CASADO, PODERIA TER NASCIDO UMA RAÇA SUPERIOR, DIZ MARCO FELICIANO

Sem muito tempo para novas postagens replico uma que pode nos ajudar um pouco a esclarecer pontos controversos de pregadores atuais.
Veja esta pérola de um dos maiores teólogo do Brasil o PhD em teologia Pr. Marco Feliciano. A afirmativa deste douto teólogo é no mínimo risível. Aponta para uma total ignorância bíblica e teológica.
Em primeiro lugar O Senhor Jesus nunca se casaria, pois, não foi para este fim que Ele se encarnou. Não que o casamento fosse algo impuro, mas não estava no escopo da obra salvadora do Senhor Jesus. Ele veio especificamente para a finalidade da salvação. Assim sendo, especular sobre um possível casamento do Senhor e uma possível geração de filhos é algo esdrúxulo e impróprio quanto a Cristo. Tais sandices não passam de delírios dos desocupados e inúteis dentro do Reino de Deus.
Em segundo lugar o douto teólogo afirma que o cromossomo X veio de Maria e o Y não era humano o que leva a crer que na encarnação Jesus Cristo era um ser híbrido, meio homem e meio super homem ou meio homem e meio Deus. Se assim fosse esse ser híbrido, mais do que homem, nunca seria o salvador de que tanto a raça precisava e ao mesmo tempo seria a grande frustração de Deus o Pai, pois, a ofensa da raça humana continuaria existindo e a encarnação teria sido inócua. Vamos entrar um pouquinho em teologia elementar. Se a encarnação houvesse acontecido conforme explicou Marco Feliciano, a salvação da raça humana seria uma impossibilidade, pois, um ser totalmente diferente do humano seria seu representante ou vigário, o que não serviria para quitar a dívida da humanidade com o Criador, pois, somente um homem completamente homem deveria se apresentar a Deus e saldar a dívida oriunda no Éden, pois, foi o homem que ofendeu o Criador e gerou uma dívida eterna, pois, a ofensa foi contra um Deus eterno. Daí termos uma impossibilidade teológica na afirmação do PhD em teologia.
Em terceiro lugar a afirmação descabida do M. F. aponta para uma supra humanidade de Cristo como se ela tivesse sido superior à humanidade criada por Deus. A idéia que a humanidade de Cristo era pré-existente ou superior anula em 100% a obra do Calvário. A História da Teologia vem discorrendo ao longo de quase 2000 anos que a humanidade de Cristo não existia antes da encarnação, mas que foi gerada pelo Espírito Santo no ato da encarnação. Não podemos confundir imagem e semelhança de Deus com natureza humana do verbo.
Em quarto lugar a afirmação descabida de M. F. seria a maior frustração de Deus o Pai. De que adiantaria uma encarnação para salvação se o ser encarnado fosse superior à raça que havia pecado contra Ele? Deus não poderia aceitar a morte deste ser alienígena à raça humana como substitutiva no Calvário. A raça humana ainda estaria sem salvação e Deus teria esgotado suas possibilidades de salvação, pois, a salvação somente se realizaria e se realizou mediante a encarnação. Não existe outra forma de salvação senão aquela que passe necessariamente pela encarnação do Verbo. Deus não poderia salvar através de um ato deliberado de Sua Soberana vontade a raça humana, pois, sua justiça não seria satisfeita e nós nunca seríamos justificados diante dEle, por isso, o Verbo se encarnou e cumpriu toda lei.
Em quinto lugar o cromossomo X de Maria foi preservado da contaminação do pecado de Adão e por isso, Cristo não participou da culpa do pecado do primeiro homem. Ele foi sem pecado desde seu nascimento. Temos a péssima idéia de achar que o homem é o que conhecemos hoje. Hoje, após o pecado de Adão, nós como raça somos menos homens do que o original. Somos raça corrompida e totalmente contaminada pelo pecado. Assim sendo, não correspondemos ao modelo exato da criação. Somos criação corrompida. Como a encarnação foi proporcionada pelo Espírito Santo, a natureza humana de Cristo foi totalmente preservada da contaminação do pecado. Cristo é cabeça de uma nova humanidade. Ele é o segundo Adão. A nossa posição em Cristo é superior a de Adão antes da queda.
Em sexto lugar o cromossomo Y que não veio de Maria só podia 100% humano e nunca supra humano, para que fosse gerado uma natureza 100% humana. O Concílio de Calcedônia em 451 já afirmava que "Seguindo então, aos Santos Padres, unanimemente ensinamos a confessar um solo e mesmo Filho: nosso senhor Jesus Cristo, perfeito em sua divindade e perfeito em sua humanidade, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (composto) de alma racional e de corpo, consubstancial ao Pai pela divindade, e consubstancial a nós pela humanidade, similar em tudo a nós, exceto no pecado, gerado pelo Pai antes dos séculos segundo a divindade, e, nestes últimos tempos, por nós e por nossa salvação, engendrado na Maria virgem e mãe de Deus, segundo a humanidade: um e o mesmo Cristo senhor unigênito; no que têm que se reconhecer duas naturezas, sem confusão, imutáveis, indivisas, inseparáveis, não tendo diminuído a diferença das naturezas por causa da união, mas sim mas bem tendo sido assegurada a propriedade de cada uma das naturezas, que concorrem a formar uma só pessoa. Ele não está dividido ou separado em duas pessoas, mas sim é um único e mesmo Filho Unigênito, Deus, Verbo, e Senhor Jesus Cristo como primeiro os profetas e mais tarde o mesmo Jesus Cristo o ensinou que si e como nos transmitiu isso o símbolo dos padres". Em momento algum houve qualquer insinuação que Cristo fosse super humano.
Assim sendo, as afirmações do excelente PhD em teologia M. Feliciano somente expressa sua incapacidade teológica e bíblica. Cabe a nós expurgarmos tais conceitos de nossas vidas.
Soli Deo Gloria
Pr. Luiz Fernando R. de Souza

24 julho 2013

A IGREJA QUE SE PROSTITUI

A IGREJA QUE SE PROSTITUI

Pareja enmascarada
Replico uma postagem feita a mais de um ano por achar oportuno o assunto. Boa leitura.

A palavra prostituição lembra comportamentos que traduziríamos em seduzir e deixar-se seduzir. Cada vez mais vemos igrejas seduzindo os homens para o caminho da idolatria (Mamon) hedonismo e lassidão moral dentre vários outros, e se deixando seduzir por doutrinas espúrias, anticristãs, pelo mundanismo.  Quando a igreja se deixa cooptar pelos atrativos e mentalidade do mundo ela está se prostituindo, pois a Palavra de Deus nos adverte que aquele que quer ganhar a amizade do mundo torna-se inimigo de Deus. Tg. 4:4.
Em primeiro lugar vemos a igreja se prostituir quando abranda seus padrões morais. O pecado grassa a passos largos dentro da igreja. Aumenta o número de jovens grávidas dentro das igrejas e isso não incomoda mais nem aos pais nem à liderança. Neste ponto a disciplina eclesiástica foi banida para o fundo do quintal e um comportamento Laissez-Faire é adotado como padrão em nosso meio. O padrão de santidade bíblico foi abandonado porque se for anunciado dos púlpitos provocará um esvaziamento das igrejas. Talvez, exigirá muito dos membros a busca da santidade assim como Senhor nosso Deus é Santo. Vimos recentemente um fato que ilustra o que foi dito acima. Um jogador de futebol que conquistou o título estadual com seu clube apareceu em frente às câmeras de televisão comemorando o campeonato de sunga e com uma faixa em sua cabeça que continha os dizeres: 100% Jesus. Logo após a saída do estádio foram comemorar em uma boate onde este mesmo jogador pagou a festa que teve participação de 10 mulheres para homem presente. Este mesmo jogador já é pai de uma criança sem ser casado. Diz-se evangélico e temente a Deus. Poderíamos nos perguntar onde está o pastor deste jovem jogador? Qual tipo de igreja ele frequenta? Creio que a liderança nada fala porque talvez as ofertas que entrem na igreja superem os R$ 300.000,00 por mês. Nesse caso fica difícil apontar o pecado e o mal frente a este volume financeiro. Sim a igreja tem se prostituído e se tornado prostituta quando abranda seus padrões morais, achando assim que conquistará mais almas para Cristo. No entanto, esquece que o Senhor Jesus nunca se coadunaria com tais padrões. Esquece-se que quando mais próxima do mundo ela for menos impacto provoca. O apóstolo Paulo nos adverte fortemente em  II Tm 3:1-9 “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. 2 Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, 3 Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,
4 Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,
5 Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.
6 Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; 7 Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. 8 E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé. 9 Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles”.
Em segundo lugar a igreja se prostitui quando permite que seus líderes permaneçam nos púlpitos mesmo em pecado. Já virou tendência pastores se divorciarem e permanecerem nas igrejas como líderes. (Abordo aqui somente adultério ou escândalos. Alguns divórcios pastorais devem ser ponderados com outra ótica) Pastores que adulteraram e desonraram o chamado de Deus e quebraram a confiança da igreja ainda permanecem como pastores em nosso meio. Quando isso acontece a porta se escancara para o pecado e o padrão de Deus se esvai pelo ralo. Certamente o Senhor já não fala mais em tais lugares e ai outras vozes se apresentam como vozes proféticas em meio ao caos eclesiástico. Ha pouco tempo vi um chamado pela internet de um congresso de homens da promessa ou homens de valor ou algo parecido em que um pastor que adulterou com uma jovem, de 15 anos era um dos palestrantes. Fiquei a me perguntar que congresso era esse e quais seriam os homens de valor daquele congresso? O que poderiam ofertar diante de uma tal aberração? Mas quando a igreja afrouxa seu padrão de conduta para seus líderes então isso se torna oferecer fogo estranho no altar do Senhor. Acham que Deus é somente amor. Esquecem-se que os salmos nos dizem que a base do trono de Deus é santidade e justiça. O padrão de Deus é homens santos dando exemplo de santidade. Enquanto as igrejas tolerarem o pecado em seus púlpitos estará se prostituindo e envergonhando Deus e sendo envergonhada. A máxima dos puritanos era: “Pastores santos e cultos”. Vivendo esta máxima eles fundaram uma das maiores ou a maior universidade do mundo a Harvard Business School. Necessário se faz uma assepsia nos quadros de lideranças das igrejas onde estas não admitam nem tolerem o pecado em seus púlpitos. Que as igrejas sejam corajosas para destituírem os adúlteros dos cargos de liderança.
Antes das igrejas verem as qualificações dos seus líderes como capacidade de pregar, expressar em publico etc., devem observar caráter, integridade moral e seus modos de vida.

Em terceiro lugar a igreja se prostitui quando aceita em seus quadros ministeriais pastores sem o menor conhecimento de Bíblia e teologia. A onda avassaladora de falsos ensinos que ganhou várias igrejas é algo assustador. Existe um modo de pensar que diz que o conhecimento não importa e sim a atuação do Espírito Santo. Mas a Palavra nos diz que o Espírito nos conduziria em toda verdade e verdade é apreendida e isso por meio de esforço muitas vezes. Lembro-me que anos atrás, enquanto seminarista, um pastor me disse que quando era tradicional ele tinha uma montanha de livros para estudar ao preparar os sermões, mas que depois de ser revestido com poder pelo Espirito Santo deixou essas coisas para traz. Então eu lhe disse: Depois que experimentei o poder do Espirito Santo ai eu passei a estudar mais e a comprar mais livros. Na realidade são pastores preguiçosos que acham que basta abrir a Bíblia em qualquer passagem que o sermão aparece do nada em suas mentes. Pastores despreparados levam as igrejas a se prostituírem no altar do sincretismo religioso. Ha pouco tempo vi um vídeo pela internet onde pessoas vestidas de batas longas carregavam um modelo da arca da aliança dentro de uma igreja e o pastor gritava que quem tocasse na arca seria abençoado. Fazer uma replica da Arca da Aliança e destacar isso é uma das maiores demonstrações de idolatria sendo introduzidas em igrejas que já perderam a pureza doutrinária. Sim a igreja se prostitui ao aceitar um padrão inferior de liderança. O exemplo bíblico deveria ser o nosso padrão quando a igreja primitiva ao enviar os primeiros missionários enviou nada menos que o apóstolo Paulo.

Em quarto lugar a igreja se prostitui quando avalia ministério pelo tamanho de uma igreja e não pelo compromisso com a Palavra de Deus. Quando avaliamos uma igreja pelo seu tamanho precisamos nos dobrar diante da igreja (Growing In Grace International Ministry, Inc.) igreja do megalomaníaco José Luís Miranda que se diz ser Jesus Cristo em carne e osso e já conta com mais de 10.000 membros só no Brasil. Se o critério for tamanho precisamos nos dar por vencido diante do Rev. Moon da igreja da unificação que diz que  Moon veio cumprir aquilo que o Senhor Jesus não fez através do casamento e já arrebatou milhares de seguidores. Se o tamanho é o padrão de avaliação então teremos de descartar milhares de pastores e igrejas que crescem lentamente e são pequenas. Teremos de descartar milhares de missionários que nos rincões do Brasil não pastoreiam igrejas com mais de 30 membros e aqueles que no mundo árabe ganham uma alma para Cristo a cada 5 ou 10 anos.  A igreja se prostitui quando abandona o padrão de fidelidade à Palavra e adota métodos mundanos de ativismo cego. Igreja não é empresa que visa somente lucro. Pastor não é executivo que se gaba de altos salários e mordomias outras. Compromisso com a Palavra de Deus deve ser o único padrão na avaliação de uma igreja. Muitas vezes o Senhor dá o crescimento outras vezes o terreno arado é mais duro e exige mais tempo. Mas negociar o compromisso com a Palavra em troca de igrejas cheias a qualquer custo é se deixar avaliar por outros padrões que não os da Palavra.
A grande realidade é que os milhares que enchem várias igrejas nunca souberam o que é ser regenerados e os líderes dos tais também não se preocupam se são ou não, conquanto que ofertem regularmente.

Outros pontos poderiam ser destacados, mas ficaremos somente com estes quatros. Talvez alguém se encoraje a estendê-los.
Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!”

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

17 julho 2013

JOÃO ALEXANDRE ROMPE COM O MERCADO DE MAMON GOSPEL

O cantor João Alexandre publicou em seu perfil no Facebook uma declaração de rompimento com o meio gospel, demonstrando sua insatisfação com os rumos que esse setor tomou.
Em seu texto, o cantor solicita que ao se referir a ele, não o relacione ao meio gospel, a quem chama de “’idiotizado’ mercado”.
A declaração de João Alexandre, um dos artistas de maior relevância na música cristã e um dos precursores do movimento, discorda frontalmente do que vem sendo praticado pelo mercado: “O termo “Gospel” tem uma conotação mercadológica baseada na fama, na grana e na idolatria de artistas, bandas, gravadoras, formatos musicais, mensagens positivistas, entre outras distorções que variam conforme a conveniência dos tempos e dos “bolsos” dos brasileiros, cristãos ou não”.
Confira abaixo a íntegra do texto de João Alexandre, publicado em seu perfil no Facebook:

Peço licença para uma declaração:
Não faço mais parte, definitivamente, nem em número, nem em gênero e nem em grau, do importado movimento “GOSPEL”!
Por favor, quando alguém se referir a mim ou ao meu trabalho, não utilize esta forma de me definir e nem me inclua dentro desse “idiotizado” mercado, pelo bem da verdadeira Música Cristã Brasileira e de seus honrados e dedicados compositores, artistas e poetas que, assim como eu, sobrevivem, a duras penas, de seus talentos e trabalhos, nadando na contramão da escravidão imposta pela grande mídia!
Simplesmente me chamem de João Alexandre, músico (e olha lá!)!O termo “Gospel” tem uma conotação mercadológica baseada na fama, na grana e na idolatria de artistas, bandas, gravadoras, formatos musicais, mensagens positivistas, entre outras distorções que variam conforme a conveniência dos tempos e dos “bolsos” dos brasileiros, cristãos ou não!
Só quero, assim como qualquer músico que busca a excelência, fazer o melhor que posso com aquilo que tenho, de forma honesta e verdadeira, dormir com a consciência tranquila de que cumpro a missão que Deus me deu (de cantar sempre a Verdade!) e agradecer todos os dias a Ele por aqueles que me deixam fazer parte de seus ouvidos e de suas existências!
Se vc está no meu time, compartilhe! Se não, me perdoe!
          Fonte: Graça Plena
          ____________________
          Soli Deo Gloria
          Pr. Luiz Fernando R. de Souza
         

14 julho 2013

17a. CONVENÇÃO GERAL DA CEIB - A IGREJA EM DEFESA DA SOCIEDADE




DIVULGAÇÃO
Preletores: 
- Pr. Renato Ribeiro (Regional MG)
- Dr. Clovis Kaminski (O Estado e a Igreja)
- Dr Alexandre Casemiro (Oficiais da Igreja, aspectos jurídicos e eclesiásticos em nosso contexto atual)
- Consultora Empresarial, Kélvia Leite (novas obrigações com a Receita Federal - Lei 1.353) 
- Dr Daniel Baitello (a necessidade e o valor da CEIB, na proteção da igreja)
Local: Catedral Militar Evangélica, da Academia do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal - Setor Policial Sul, Área 3 (próximo ao cemitério, em frente a Academia da Polícia Militar-DF)
Horário: das 9:00 às 18:00 horas.
Self-service no Refeitório dos Oficiais: R$ 20,00 /Kg
RESERVE ESSE TEMPO, COMO UM DIA DE ADORAÇÃO CONSCIENTE, COM MUITA UNÇÃO E GRAÇA DERRAMADA!

 
---------------------------------------------------------------